28 de maio de 2007

A Hollywood Tcheca
Fundado em 1932, os Estúdios Barrandov são hoje palco de uma verdadeira revolução na indústria mundial do cinema. Atraídos pelos custos mais baixos, mão-de-obra especializada e belíssimas locações, os produtores americanos gastam anualmente cerca de 200 milhões de dólares em produções na República Tcheca.

Rodar um filme em Barrandov é mais econômico porque as produtoras estrangeiras ficam isentas de impostos, desde que contratem os serviços e as instalações de empresas locais. As equipes geralmente levam de Los Angeles apenas o diretor, alguns técnicos-chave e o elenco. Os “operários’’ do cinema, como os carpinteiros e os pintores do set, são tchecos e ganham aproximadamente 1/10 do que se paga em Hollywood aos profissionais sindicalizados.

O complexo Barrandov, usado por Hitler para fazer filmes de propaganda nazista quando ele ocupou a cidade durante a Segunda Guerra, não faz feio na comparação com os de Hollywood. Dispõe de 11 estúdios, 270 mil figurinos e 110 mil adereços, além de estar em sintonia com os avanços tecnológicos disponíveis na indústria americana. Entre as produções mais recentes, estão filmes de sucesso como 007 Casino Royale, Hanibal Rising, O Ilusionista, Oliver Twist, Alien vs. Predador, Identidade Bourne, Triple X, e muitos mais. Isso sem contar com clássicos do cinema, como A Insustentável Leveza do Ser e Trens Estreitamente Vigiados (filme tcheco ganhador do Oscar de melhor filme estrangeiro em 1966).

Um comentário:

Nelson Bata de Oliveira disse...

A propósito de cinema, o Festival de Zlin de filmes para Crianças e Jovens, um dos maiores, senão o mais importante do mundo nesse segmento, ( começou dia 25/05, se não me engano )também demonstra a força do país quando se fala de cinema. Aliás, quando Jan Bata ainda vivia em Zlin, antes da guerra, foi ele quem iniciou essa revolução, que se estendeu para outros campos, transformando Zlin numa referência mundial também em cultura.